Famílias sábias aprendem com a ursa!

Logo campanha família“Melhor é encontrar uma ursa da qual roubaram os filhotes do que um tolo em sua insensatez.” (Provérbios 17.12 – NVI), diz a sabedoria bíblica.

Sabemos pouco sobre os ursos.

Sabemos que são grandes e comem de tudo (carnes, frutas e ervas). Embora sejam pesados, podem se descolocar rapidamente.

Quando atacam, usam uma de suas patas e os braços, com os quais apertam a vítima, cravando nela suas unhas poderosas. Muitas vezes, matam com um único golpe, tão forte é.

A fêmea é considerada mais feroz que as leoas, por exemplo. O guerreiro Davi é comparado a uma ursa de quem roubaram os filhos na floresta (2Samuel 17.8). Deus mesmo, pela boca do profeta, se apresenta como uma ursa que tudo faz para resgatar seus filhotes (Oseias 13.8).

Podemos aprender com a ursa, que aprende de Deus (Oseias 13.8), a cuidar das crianças de nossa casa. Elas têm sido vítimas de ataques ferozes, nos meios de comunicação de massa e nas escolas. Elas têm sido expostas a informações que não podem discernir e a fazer coisas que as vão destruir.

É dever da família proteger suas crianças. Elas não podem se defender a si mesmas. Protegemos nossas crianças quando lhes ensinamos os valores vindos da Palavra de Deus, sempre atestados por nossas atitudes. Dizer uma coisa e fazer outra é um desastre, do qual dificilmente as crianças vão se recuperar.

A ferocidade de uma ursa é comparada a uma pessoa insensata. O sábio bíblico garante que a insensatez humana é mais perigosa que a força de uma ursa magoada.
Quem nos livrará de nós mesmos? Quem nos livrará do urso que habita dentro de nós, pronto para devorar tudo, a começar por nós mesmos? Devemos vigiar para não fazer o que queremos, mas só o que devemos, nesta batalha espiritual (Romanos 7.17-21) que nos acompanhará até o juízo final.

Não podemos agir com insensatez. Temos que nos conhecer a nós mesmos, sabendo que somos capazes de fazer o que não devemos. Temos que aprender com Jesus, aquele que foi manso e humilde (Mateus 12.28). Temos que aprender a pastorear o nosso temperamento, para que vivamos como pessoas guiadas pelo Espírito de Deus (Romanos 8.14).

Precisamos evitar os insensatos, aqueles que agem por impulso, que fazem o que todos fazem, que visam a seus próprios interesses apenas, que não pensam antes de agir. Não podemos ser ingênuos: as más companhias pervertem até os bons (1Coríntios 15.33).

Não temos nada a aprender com os insensatos. Se não os pudermos corrigir, não permitamos que nos façam iguais a eles.

De uma ursa, só podemos reter o cuidado com os participantes de nossa família. No mais, se formos mais fortes não devemos usar nossa força (dos músculos e da língua) para destruir. Nossa força, se a temos, deve ser empregada para construir, nunca mais para apequenar, menosprezar, humilhar ou matar.

Pr. Israel Belo de Azevedo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s